Decifrando termos arquitetônicos para facilitar sua vida - Bucalo
Loja Augusta: (11) 3189-0020
Loja Shop. D&D: (11) 2663-8230
Loja Al. Gabriel: (11) 3062-6481
Revenda: (11) 3087-7877

Decifrando termos arquitetônicos para facilitar sua vida

Publicado em 14/08/2017

Se você é apaixonado por arquitetura e decoração de interiores, tem o costume de contratar arquitetos para mudar algo em casa e ainda lê revistas sobre o assunto, deve ter se deparado com alguns termos arquitetônicos difíceis de entender e até engraçados de ouvir.

Por mais que os arquitetos tentem falar a “língua” do cliente, muitas palavras não têm sinônimo, mas normalmente eles já imaginam que o cliente possa não saber e explicam.

Mas para que você não fique sem entender nada, aprenda alguns termos arquitetônicos e fique por dentro desse mundo:

  • Acessibilidade: é um termo que vem ganhando força, pois hoje é obrigatório que se atenda às normas de acessibilidade em qualquer edificação, para que todas as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida tenham também o direito de ir e vir.
  • Água de telhado: é o plano inclinado de um telhado, por onde escorre a água pluvial. Uma casa pode ter uma água ou várias, dependendo do desenho arquitetônico. Quanto mais águas, mais interessante será o projeto.
  • Almofada: normalmente vistas em portas, são aquelas partes salientes para dar acabamento mais rebuscado às portas.
  • Área comum: área que não é de um só proprietário, como por exemplo, o playground de um edifício, um salão de festas, ou seja, todas as áreas de convivência mútua.
  • Área construída: é toda área coberta, o que leva em consideração também todas as paredes e pisos de uma edificação.
  • Área útil: é toda área de piso de todos os cômodos.
  • Área permeável: piso não pavimentado, por onde escorre a água da chuva. Existe um mínimo de área permeável para cada lote para garantir o escoamento das águas pluviais e não causar enchentes ou empoçamentos.
  • Área privativa: é toda a área pertencente a um proprietário, incluindo paredes e pisos.
  • Brise: é considerado um quebra-sol, que pode ser horizontal ou vertical e que leva em consideração um estudo solar, para saber a melhor maneira de dispor em uma fachada, para diminuir a incidência solar na parte interna de uma edificação e ainda assim garantir ventilação.
  • Caixão perdido: normalmente quando se faz uma laje com grande espessura de concreto, mas que em seu interior não é necessário ser maciço, ela fica oca ou é preenchida com isopor para melhor conforto acústico e térmico.
  • Caixilho: estrutura de alumínio, madeira ou PVC que faz o perímetro de portas e janelas que começam no piso.
  • Casa geminada: e não “germinada”. Quando duas casas ou algum outro elemento construtivo estão interligados por somente uma alvenaria e que podem dividir a mesma área externa ou não.
  • Claraboia: abertura no teto para permitir a entrada de luz solar ou ventilação, ou os dois juntos.
  • Cobogó: é um elemento vazado bastante utilizado no século XX e que hoje vem ganhando força. Antigamente era feito com cimento, mas hoje é possível encontrar em cerâmica e vidro. Serve para o interior de uma edificação, para melhorar a iluminação e ventilação de um cômodo.
  • Cumeeira: é a parte mais alta do telhado, a ponta dela. É o local onde as águas do telhado se dividem.
  • Edícula: é o famoso “puxadinho” aqui no Brasil. É considerada uma casa pequena, com sala, quarto, cozinha e banheiro. Pode ou não ter uma garagem, a área de serviço é externa e a saída normalmente é independente.
  • Empena cega: quando uma fachada não possui abertura nenhuma, seja ela janela, porta ou qualquer outra abertura para ventilação ou iluminação.
  • Guarda-corpo: proteção em meia altura, utilizada em varandas, terraços e sacadas,
  • Marquise: é uma cobertura aberta lateralmente e que se projeta além da construção. Pode ser feita para proteger a porta de entrada de uma casa.
  • Mezanino: piso intermediário que não ocupa o andar inteiro e forma um pé-direito duplo em alguns ambientes.
  • Pé-direito: altura do piso até o teto.
  • Pé-direito duplo: altura em dobro do piso até o teto. Contam-se dois andares livres em sua altura.
  • Pergolado: estrutura decorativa feita geralmente em madeira ou concreto. Essas estruturas são chamadas de pérgolas e não possuem cobertura em sua maioria, mas pode receber uma cobertura de vidro e deixar o pergolado bem discreto e protegido de chuva.
  • Platibanda: mureta baixa para esconder todo o perímetro do telhado
  • Skyline: é considerada o “contorno” no horizonte de uma cidade. Diz-se que o skyline de Nova Iorque é imponente, com seus arrranha-céus.

Agora você não terá mais dúvidas quando for conversar com um arquiteto ou quando ouvir falar sobre esses termos arquitetônicos. Nunca é demais para aprender algo novo!

Gostou? Compartilhe nas redes sociais: