Tipos de cortinas e como utilizar cada uma delas - Bucalo
Loja Augusta: (11) 3189-0020
Loja Shop. D&D: (11) 2663-8230
Loja Al. Gabriel: (11) 3062-6481
Revenda: (11) 3087-7877

Tipos de cortinas e como utilizar cada uma delas

Publicado em 24/01/2017

Que as cortinas deixam a casa mais aconchegante e elegante todo mundo sabe, mas não é uma tarefa fácil escolher a cortina ideal para cada ambiente, pois além de existirem diversos tipos de cortinas, elas são uma parte dispendiosa da decoração, que sempre acaba sendo escolhida ao final de tudo ou até a ficar em um segundo plano, pois não é um item indispensável para sua sobrevivência, mas que faz toda a diferença.

Para que você consiga escolher o melhor tipo de cortina sem a ajuda de um arquiteto de interiores, daremos algumas dicas que facilitarão muito na sua escolha. E é muito importante que a escolha seja certeira, pois não é um item que trocaremos a todo o momento, pois como já falamos, é caro e não queremos jogas dinheiro fora. Então fique atento e vamos lá!

A primeira coisa ao escolher uma cortina é saber o que significam aquelas palavras tão específicas para os tipos de cortina, como ilhoses, braçadeiras e por aí vai, porque com certeza lhe farão perguntas sobre o tipo de “ilhoses” que deseja na hora da sua compra. Então para te ajudar a entender um pouco o que significa cada item de uma cortina, segue um glossário com o significado das palavras que você mais vai ouvir:

  • Argola: anel que segura a cortina no varão.
  • Braçadeira ou Abraçadeira: cordão ou faixa que amarra a cortina nas laterais, para que ela se mantenha aberta.
  • Cortineiro: espaço criado no forro de gesso para esconder o varão e a argola ou ilhós e para que a cortina fique embutida.
  • Ilhós: aros em metal, madeira ou plástico na cortina para passar o varão, assim não há necessidade de uso da argola.
  • Ponteira: acabamento nas extremidades do varão, para que a cortina não se solte dele e o ornamente.
  • Varão: bastão de madeira, metal ou plástico, que é fixo na parede ou teto e serve para segurar a cortina.

Cada cômodo pede um tipo de cortina mais apropriado, mas isso vai depender muito do que se deseja para o ambiente. Em salas, cozinhas e banheiros o ideal é que as cortinas sejam de um tecido mais leve como o voal, com algum forro por trás para criar uma transparência, mas ainda assim, esconder um pouco a luminosidade de fora e trazer privacidade.

Para os quartos e home theater, nada melhor que cortinas com blackout, que não deixam passar nenhuma luz no ambiente, garantindo assim maior conforto. Mas existem pessoas que preferem que no quarto a cortina seja mais transparente, pois precisam da luz da manhã para conseguirem despertar, por isso dissemos que tudo dependerá do que se deseja e nada é uma regra.

Tipos de cortina

  • Cortina com varão e tecido: aqui o que deverá ser escolhido é o tecido, se mais leve ou mais pesado, dependendo da intenção. Os tecidos mais utilizados nesse caso são o voal e shantung para ambientes que se queira mais luminosidade, pois são tecidos leves, e algodão, linho, camurça, poliéster, seda e chenille para ambientes onde se deseja menos incidência solar. Combinar voal com um tecido mais encorpado deixa o ambiente com menos transparência e ainda assim consegue barrar a luz solar. O bom de haver dois tipos de tecido é que de dia você pode deixar um fechado e de noite outro.
  • Blackout: cortina feita em poliéster que não permite incidência solar nenhuma, mesmo que lá fora esteja um super sol!
  • Persiana: cortina com barras verticais ou horizontais, feitas de madeira, alumínio ou PVC. É a opção mais barata e que não barra tanto a luz solar, mas se o ambiente é minimalista e clean, é uma ótima escolha. Existem vários tipos de persianas, com diferentes materiais e propósitos:
  • Tipo rolô: quando não utilizada, essa persiana enrola e se recolhe. Existem as opções com tela solar para impedir tanto os raios UV e a luminosidade e os de vinil para deixar o ambiente mais escuro. Ideal para qualquer ambiente.
  • Tipo romana: possui design interessante, pois quando recolhidas, elas se dobram. Ideal para salas e cozinhas.
  • Tipo painel: perfeito para grandes vãos e como é modulado não é necessário abrir o vão todo. Se você quer somente um pouco de luz, recolhe somente um módulo, se deseja mais luz, recolhem-se todos. Ideal para ambientes grandes, como as salas.
  • Tipo double vision: alterna entre faixas translúcidas e opacas. Você não perde a visão exterior e consegue diminuir a luminosidade no ambiente. Ideal para salas e quartos.

Dicas

  • Cortinas são sempre mais elegantes se vão do piso ao teto ou pelo menos do piso até o fim da altura da janela ou porta.
  • Faça barras nas cortinas com 20cm de altura, para dar mais elegância.
  • Para saber qual largura de tecido comprar, para os mais leves, meça a largura da janela ou porta, multiplique essa largura por 3 e adicione mais 20 a 40cm na largura total, para que haja caimento, mas se o tecido for mais pesado, multiplique a largura por 2 e depois adicione 20 a 40cm.
  • Existem cortinas já com dimensões padrões de mercado e com certeza são muito mais baratas do que mandar fazer. Se você acha que ela se encaixa perfeitamente no seu ambiente, não hesite em comprá-la.
  • Persianas são mais fáceis de limpar do que cortinas. Você só precisará passar um pano úmido nas barras das persianas, enquanto que nas cortinas, será necessário lavar todo o tecido e caso você não tenha uma máquina de lavar com capacidade para essa cortina, será necessário levar em alguma lavanderia. Pense na manutenção na hora da escolha.
  • Na hora de escolher uma estampa dê preferência para as cores mais suaves e sem muitos desenhos, para não enjoar. O legal é utilizar tecidos lisos ou listrados ou que combinem com a parede em que ela estará.

As cortinas são muito utilizadas em decorações mais clássicas e tradicionais, já as persianas têm um ar mais moderno. Veja qual o estilo de decoração do seu ambiente e qual a melhor opção para você.

Gostou? Compartilhe nas redes sociais: